Semus e parceiros levam informação sobre hanseníase aos frequentadores do Parque Cesamar

  • 12/Fev/2019 10h54
    Atualizado em: 12/Fev/2019 às 11h20).
Semus e parceiros levam informação sobre hanseníase aos frequentadores do Parque Cesamar Foto:

Quem passou pelo Parque Cesamar nesse último domingo, 10, teve áaoportunidade de tirar dúvidas, receber orientações e até mesmo fazer exame clínico para diagnosticar sintomas da hanseníase.

A ação foi promovida no final da tarde, por técnicos e especialistas em hansenologia que atuam nas secretarias de Saúde de Palmas e do Estado em parceria com o Ministério da Saúde.

Na programação, os grupos de profissionais se revezaram na distribuição de materiais educativos, na condução das rodas de conversas, palestras e exames clínicos. A movimentação no Cesamar chamou a atenção dos frequentadores do espaço de entretenimento.

A funcionária pública federal Elenice Pinheiro Queiroz observou a equipe da saúde e aproveitou o momento para tirar dúvidas e ouvir dos especialistas como vêm sendo feitos os diagnósticos e tratamentos da doença em Palmas.

“Trabalho no INSS há muitos anos e vejo como é difícil as pessoas procurarem uma unidade de saúde para fazer o exame preventivo. As pessoas ainda têm vergonha e preconceito da doença. Ações como esta ajudam a diminuir os medos e também trabalhar na prevenção da hanseníase”, falou Elenice.

A auxiliar de limpeza Jucilane Pereira da Silva ouviu na imprensa que haveria a programação no Cesamar, como ainda não tinha tido tempo para procurar um Centro de Saúde e sentia alguns sintomas da doença, aproveitou o seu dia de folga para participar da ação. “Foi uma excelente oportunidade. Há muito tempo queria me consultar, mas com a correria dos dias, nunca dava tempo. Hoje, passei pela consulta clínica e fui orientada sobre a hanseníase”, contou.

Para o fisioterapeuta Pedro Paulo, que também é coordenador do Grupo Condutor da Hanseníase em Palmas, a ação deste domingo é diferente dos dias normais de trabalho da Saúde em relação ao diagnóstico precoce, diagnóstico e tratamento. “Aproveitamos um espaço que geralmente as pessoas procuram para cuidar da saúde, praticando esportes e contemplando a natureza que o espaço oferece para trazer de forma mais leve informações educativas sobre a hanseníase.

Com o consultório na carreta móvel pudemos também fazer atendimentos clínicos em bom número de pessoas, além das rodas de conversas sobre a importância do diagnóstico e do tratamento que é oferecido na rede de saúde pública”, pontuou o coordenador reforçando como positiva a ação que as secretarias de Saúde realizaram.

Pedro Paulo lembra que a hanseníase tem cura e seu tratamento é eficaz. Para tanto, é importante o compromisso do paciente em comparecer às consultas agendadas e tomar adequadamente os medicamentos no domicílio, enquanto também cabe ao profissional de saúde estabelecer uma relação de confiança e corresponsabilidade com o paciente.

“Se alguém tiver alguma dúvida, ou gostaria de fazer um exame clínico basta procurar uma das 34 unidades básicas de saúde da Capital para ser atendido”, orienta.