Falta de médicos continua prejudicando atendimentos em hospitais do Estado

  • 08/Jan/2019 16h36
    Atualizado em: 08/Jan/2019 às 17h28).
Falta de médicos continua prejudicando atendimentos em hospitais do Estado Foto:

Os problemas nas unidades de Saúde do Estado se agravaram após o governo extinguir mais de 600 contratos e recontratar apenas 386 desse total. De acordo com relatos de pacientes que procuram atendimento nos hospitais, a situação é de caos, por falta de médicos e outros profissionais.

No Hospital e Maternidade Dona Regina, em Palmas, há relatos de que dois bebês vieram a óbito, com suspeita de não terem recebido acompanhamento correto de pediatras. Ontem, 07, uma médica chegou a acionar a Polícia Militar para registrar a falta de profissionais, evitando que fosse penalizada por possíveis intercorrências.

Com a esposa internada desde o último domingo, 06, quando teve neném, Tiago Silva de Souza relata que não há pediatras para atender todos os dias na maternidade Dona Regina. Ele disse ainda que presenciou problemas com a alimentação de bebês que precisam de leite do banco do hospital.

No Hospital Geral de Palmas

O número reduzido de profissionais afeta diretamente as grandes unidades, pois a população acaba vindo de diversas cidades a procura de atendimento. Uma paciente, que preferiu não se identificar, veio a Palmas sentindo dores no pé, no entanto, ela não conseguiu ser avaliada por falta de médico ortopedista.

O Jornal buscou ouvir profissionais, no entanto, por medo de retaliações, eles seguem recomendação de se manifestarem apenas por meio da Secretaria de Comunicação do Estado. Esta, por sua vez, respondeu na última segunda-feira, 07, à demanda da reportagem, afirmando apenas que “A Secretaria de Estado da Saúde informa que após a recontratação dos profissionais de saúde na sexta-feira, 04, está organizando as escalas de trabalho com os profissionais que retornaram.”