Comércio varejista aquece vendas de Natal em Palmas; Na primeira quinzena houve crescimento de 6%, aponta CDL

  • 22/Dez/2018 08h40
    Atualizado em: 22/Dez/2018 às 08h45).

Os comerciantes de Palmas estão otimistas com o período natalino, é o que demonstra a pesquisa da Confederação Nacional do Comércio (CNDL), divulgada pela Câmara de Dirigentes Lojistas da Capital (CDL), que revelou que quatro em cada dez comerciantes, 43% dos empresários, acreditam que as vendas no período de Natal de 2018 devem ser melhores na comparação com 2017.




Segundo a entidade, a expectativa da CDL da Capital é de que as vendas de fim de ano tenham um crescimento significativo, uma vez que na primeira quinzena do mês de dezembro houve um acréscimo de 6% no total das vendas. Além disso, a recuperação de crédito avançou 64,3% em comparação ao mesmo período do ano passado, e as negativações caíram 32,4%.




O presidente da CDL, Silvan Portilho, destaca alguns números importantes apontados na pesquisa. “O valor médio a ser gasto com presentes natalinos este ano é de R$ 116, já os consumidores pretendem comprar entre quatro e cinco itens para presentear”, disse, ressaltando que os produtos mais procurados devem ser roupas (55%) e calçados (32%), seguidos por perfumes e cosméticos (31%), brinquedos (30%) e acessórios, como bolsas, cintos e bijuterias (19%).




“Apesar das dificuldades econômicas porque passa o País, podemos ver um otimismo em ambos os lados, seja pelos consumidores ou pelos lojistas. Esses números nos revelam que o palmense está animado para suas compras de Natal. Estamos com boas expectativas para as próximas semanas e esperamos terminar o ano com saldo positivo nas vendas”, explicou Silvan Portilho.




Otimismo




Quem transita pelos shoppings da cidade ou comércio de rua encontra os estabelecimentos em clima natalino. Esse movimento está cada vez mais forte nos últimos dias, deixando os comerciantes mais animados. O empresário do ramo de confecções, Naldo Costa, garante que a economia vem dando sinais de recuperação, o que gerou aumento nas vendas e possibilitou várias contratações temporárias. “O comércio já vem sentindo os reflexos desse movimento na economia, mas ainda de forma acanhada para alguns setores. Ao longo desse ano tivemos crescimento de vendas em todas as datas comerciais, no Natal não poderia ser diferente, estamos otimistas e apostando em bons resultados”, apontou o empresário.




Naldo Costa destaca ainda que o comércio é muito dinâmico e que os consumidores precisam toda hora de estímulo. “A decoração dos estabelecimentos, as vitrines e as ofertas são algumas ferramentas utilizadas para conquistar novas vendas, por isso tem sido tão comum assim que termina uma data comercial, antecipar a decoração da data seguinte”, finalizou.




Outra ponta




Enquanto os consumidores presenteiam mais pessoas com várias lembrancinhas, outros privilegiam apenas pais, filhos, alguém mais próximo. Como o servidor público Roney Bennicchio que optou por dividir com o irmão um presente melhor para a mãe. “Este ano doamos uma TV para minha mãe, eu e meus irmãos resolvemos dar um presente útil para o dia a dia”, disse.




Já sua colega de trabalho, Iacira Santos, optou por presentear familiares mais próximos e os filhos, comprando mais presentes, se mantendo na média de preços divulgados pela pesquisa.