Durante solenidade, Escola Penitenciária anuncia novos cursos para 2019

  • 20/Dez/2018 14h53
    Atualizado em: 20/Dez/2018 às 14h58).
Durante solenidade, Escola Penitenciária anuncia novos cursos para 2019 Foto: Marcos Miranda

Nesta quarta-feira, pela manhã, a Escola Superior de Gestão Penitenciária e Prisional do Estado do Tocantins (Esgepen-TO) encerrou suas atividades neste ano de 2018 com uma solenidade para servidores do Sistema Penitenciário e Prisional (Sispen) e anunciou novos cursos para 2019.

Segundo o gerente da Esgepen, Daniel Rodrigo de Araújo, inicialmente serão ofertados 11 cursos de aperfeiçoamento, os quais já estão aprovados pelo Sispen. “Qualificar, exercer a profissão com profissionalismo e fazer a diferença não somente no Tocantins, mas em todo o país”, destacou o gerente como objetivos concretos do Sispen.

O evento foi marcado também por homenagens a alguns servidores que se qualificaram em cursos feitos fora do estado do Tocantins. Na parte da manhã ocorreu a oficina teórica sobre manuseio e manutenção das 100 espingardas calibre 12 recém adquiridas para todas as unidades prisionais. No período vespertino aconteceram as atividades práticas quanto ao armamento.

Dentre os convidados, encontravam-se os especialistas em segurança Aparecido José da Silva e Márcio Gavioli. “O operador de armamentos deve ter treinamento de qualidade”, diz o presidente do Clube de Tiros do Tocantins, Gavioli, que se diz um entusiasta destas ações de valorização e capacitação profissional.

O instrutor de Segurança Pública para Treinamento Policiais Especiais, Aparecido, complementa dizendo que a ideia do curso é o aperfeiçoamento, a capacitação. “Esse tipo de treinamento tem que ser valorizado, pois a resposta final sempre será a preservação da vida”. Ele explica que o operador das ferramentas não deve errar, e a única forma de se conseguir isso é por meio de uma capacitação contínua e melhorada.

O aluno José Antônio Marinho disse que esse tipo de conhecimento tem muito a agregar, pois as técnicas aprendidas são rapidamente postas em prática. “Todos os procedimentos são adequados à realidade da unidade e as respostas são sempre positivas”, explica.

Segundo o superintendente do Sispen, Orleanes de Sousa Alves, o Tocantins tem progredido bastante, apoiado em práticas transparentes de capacitação, estratégias bem definidas e na valorização do servidor. “Seremos referência nacional no que tange o Sistema Penitenciário”, avisa.



Cooperação

A Superintendência do Sistema Penitenciário fez um convite à Diretoria de Proteção dos Direitos da Criança e do Adolescente (DPDCA), para que fosse disponibilizado um servidor a participar do evento, para que em contato com as oficinas e atividades sejam fomentadas ações afins também no Sistema Socioeducativo. Desta forma, o servidor convidado servirá como um multiplicador dos conhecimentos ali ministrados.

Lucas Barbosa, técnico do Sistema Socioeducativo, conta que se sentiu honrado com o convite. “Farei valer essa oportunidade, pois meu papel aqui é absorver o máximo de informações e levar à minha diretoria. Temos a intenção de fazer prosperar bons projetos e treinamentos também no socioeducativo”. O Superintendente do Sispen disse que ambos os sistemas, socioeducativo e penitenciário, são irmãos. “Temos que caminhar juntos. Toda atividade do Penitenciário contará com a presença de um profissional do socioeducativo”. Escola de Gestão Penitenciária oferece capacitação de armamentos aos seus servidores.