Prorrogada Campanha de Vacinação contra a raiva dos herbívoros

  • 04/Dez/2018 16h11
    Atualizado em: 04/Dez/2018 às 16h12).
Prorrogada Campanha de Vacinação contra a raiva dos herbívoros Foto: Delfino Miranda/Governo do Tocantins

O Governo do Tocantins, por meio da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), prorrogou para 31 dezembro o término da campanha de vacinação contra a raiva dos herbívoros (bovídeos, equídeos, ovinos e caprinos). A campanha, que é obrigatória para 20 municípios do Estado, iniciou no dia 1º de novembro e terminaria no dia 30 de novembro. A medida, prevista na Portaria nº 329, visa beneficiar os produtores rurais considerando que houve falta de reposição de vacina por parte dos laboratórios em várias casas agropecuárias destes municípios. No restante do Estado, a vacinação poderá ser aplicada em qualquer época do ano.

De acordo com o presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha, os produtores rurais têm cumprido o seu papel com maestria, na última campanha bateram recorde com um índice vacinal de 98,71%. “Acreditamos no comprometimento de todos os envolvidos e queremos garantir a sanidade do rebanho, por isso, a dilação do prazo é tão importante para que as metas sejam alcançadas sem prejuízos”, avalia.

Atualmente cerca de 20 municípios devem cumprir a obrigatoriedade da vacinação antirrábica:Palmas, Aparecida do Rio Negro, Novo Acordo, Colinas do Tocantins, Bandeirantes, Palmeirante, Brasilândia do Tocantins, Porto Nacional, Brejinho de Nazaré, Ponte Alta do Tocantins, Monte do Carmo, Natividade, Chapada de Natividade, Silvanópolis, Pedro Afonso, Tupiratins, Bom Jesus do Tocantins, Miracema do Tocantins, Lajeado e Tocantínia. Juntos somam uma média de 8 mil propriedades rurais com aproximadamente 1,2 milhão de herbívoros.

A vacinação contra a raiva é anual e os produtores rurais devem vacinar os animais, independente da idade. Animais primovacinados (vacinados pela primeira vez) deverão ser revacinados trinta dias após a administração da primeira dose vacinal. A comprovação deve ser feita nos escritórios da Adapec mediante apresentação da nota fiscal de aquisição da vacina. “Os produtores rurais faltosos serão notificados e multados em R$ 5,32 por animal e R$ 127,69 por propriedade não declarada”, disse o gerente de sanidade animal da Adapec, Sérgio Liocádio. Nesses casos, a Adapec agendará a vacinação assistida para garantir que 100% dos herbívoros sejam vacinados.