Crianças e adolescentes participam de roda de conversa sobre prevenção ao suicídio em escolas de Tocantínia

  • 14/Set/2018 09h21
    Atualizado em: 14/Set/2018 às 09h30).
Crianças e adolescentes participam de roda de conversa sobre prevenção ao suicídio em escolas de Tocantínia Foto:

Na tarde desta quinta-feira (13), a Prefeitura de Tocantínia, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social e o Centro de Referência e Assistência Social (CRAS), promoveu uma roda de conversa coordenada pela psicóloga Flor de Lys Feitosa, dirigida às crianças e adolescentes assistidas pelo CRAS. A iniciativa faz parte da programação alusiva ao Setembro Amarelo.

A psicóloga Flor de Lys Feitosa disse que a primeira medida preventiva é educação e que é preciso deixar de ter medo de falar sobre o assunto, derrubar tabus e compartilhar informações ligadas ao tema. “O suicídio é algo sério. A população precisa estar atenta no sentido de poder ajudar quem realmente precisa de ajuda”, frisou a psicóloga.

Conforme dados do Centro de Valorização da Vida CVV, pelos números oficiais, são 32 brasileiros mortos por dia. No mundo a cada 40 segundos uma pessoa se mata, totalizando quase um milhão de pessoas todos os anos. Estima-se que de 10 a 20 milhões de pessoas tentam suicídio a cada ano. 

A iniciativa, que contou com o apoio do Núcleo de Cidadania da Criança e do Adolescente (NUCCA) e do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDC), aconteceu nas dependências da Escola Municipal Antônio Benvindo Luz, e faz parte da programação alusiva ao Setembro Amarelo.

De acordo com a secretária de Assistência Social de Tocantínia, Ana Paula Ribeiro de Andrade Oliveira, boa parte dos alunos adolescentes e pré-adolescentes têm recebido uma atenção especial do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, que é vinculado à Assistência Social do Município, destacando que a administração pública municipal de Tocantínia está empenhada em alertar a população a respeito da realidade do suicídio, que é tratado como um tabu na sociedade, bem como, sobre a importância de se cuidar da saúde mental.

Objetivo


A secretária Ana Paula Ribeiro de Andrade explicou, ainda, que o objetivo do trabalho é aumentar a conscientização sobre a magnitude do problema e a disponibilidade de estratégias eficazes de prevenção, além de reduzir a incidência de suicídio e tentativas de suicídio. Busca também, enfrentar fatores de risco de suicídio; tentativas de suicídio e reduzir o estigma relacionado a comportamentos suicidas.
Setembro A