Palmas conta com moderno equipamento de radioterapia para tratamento de câncer

  • 05/Jul/2018 17h04
    Atualizado em: 05/Jul/2018 às 17h09).
Palmas conta com moderno equipamento de radioterapia para tratamento de câncer Foto: Divulgação

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo Conselho Federal de Medicina informou que em 11 cidades do Tocantins a principal causa de mortes registradas é o câncer. Os dados preocupam por que segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA) a estimativa é que este ano seja confirmado mais de 2,6 mil casos da doença entre os moradores do estado.

Segundo o médico rádio-oncologista da clínica de radioterapia Irradiar, Ismar de Rezende Junior, o câncer pode se desenvolver em pacientes que possuem histórico da doença na família entre outros fatores, como: “tabagismo, etilismo, estresse, alimentação inadequada”, pontuou.

Como se tem conhecimento, o câncer quando diagnosticado precocemente há mais chances de cura e efetividade do tratamento definido pelo médico. As opções para o tratamento vão desde procedimentos cirúrgicos, quimioterapias, radioterapia, entre outros.

Conforme o INCA mais da metade dos pacientes com câncer são tratados por meio de radioterapia, sendo que há casos exitosos de cura ou melhora na qualidade de vida dessas pessoas.

Além disso, o físico-médico Fábio Alves explicou que o tratamento de radioterapia é bastante eficaz. “Isso acontece porque o procedimento emite feixes de radiação com altíssima precisão sobre o local afetado, evitando ao máximo comprometer os tecidos sadios”, frisou Alves.
Segundo Rezende, outra vantagem da radioterapia é a possibilidade de preservação de órgão no tratamento oncológico, como radioterapia para curar câncer de laringe, de próstata ou bexiga, sem a necessidade de cirurgia.

Radioterapia no Tocantins

Atualmente no Tocantins há um equipamento de radioterapia em pleno funcionamento com capacidade de atender de forma significativa a demanda estimada pelo INCA. O acelerador pertence à clinica Irradiar e figura entre os mais modernos do País sendo capaz de realizar radioterapia conformacional 3D, de intensidade modulada (IMRT) e IGRT além da Radiocirurgia (técnicas que maximizam os resultados com menores impactos à saúde do paciente).

O aparelho focaliza e emite a radiação de forma específica para não comprometer os demais órgãos. Segundo o físico-médico, Fábio Alves, é feito um mapeamento do local atingido pelas células cancerígenas. “Todos os tratamentos da clínica Irradiar são elaborados em cima de tomografias computadorizadas e muitas das vezes também fazemos uso de imagens de Ressonância magnética, esse cuidado nos permite fornecer uma maior quantidade de radiação ao tecido tumoral, minimizando a dose nos tecidos sadios vizinhos à doença aumentando, dessa forma, a probabilidade de cura.”

A Irradiar foi a primeira a realizar uma radiocirurgia cerebral no estado. O procedimento foi realizado em 16 de junho de 2017 e cinco meses depois, em novembro, realizou o primeiro procedimento deste tipo pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Tocantins.

Desde sua inauguração em 2016 a clinica já atendeu mais de 900 pacientes entre pessoas do SUS, planos de saúde e da rede privada.

Profissionais

Ismar de Rezende Júnior é médico rádio-oncologista, formado pela Universidade de Cuiabá, cursou Residência Médica em Radioterapia no Hospital de Câncer de Barretos; é especialista e membro da Sociedade Brasileira de Radioterapia.

Fábio Alves dos Santos Júnior é bacharel em física pela Universidade Federal de São Carlos e especialista em física médica pela Associação Brasileira de Física Médica (ABFM); supervisor em Radioproteção pela Comissão Nacional de Energia Nuclear; e membro da ABFM convidado para realizar a tradução do sistema de Cálculo VARIAN Eclipse em Palo Alto - Califórnia – EUA