Cafundó do Brejo é a grande campeã do 26º Arraiá da Capital

  • 03/Jul/2018 17h39
    Atualizado em: 03/Jul/2018 às 17h53).
Cafundó do Brejo é a grande campeã do 26º Arraiá da Capital Foto: Luciana Pires

Com o tema “Enquanto a Cidade Dorme”, a Cafundó do Brejo levantou dos mortos cangaceiros e volantes para um último duelo que levou a Junina a se tornar campeã do 26º Arraiá da Capital. A Coronéis da Sucupira, com o tema "Ayurveda”, levou o segundo lugar, e  a Caipiras do Borocoxó, que levou para a arena o tema “O Dono da Festa”, ficou em terceiro. A apuração das juninas vencedoras foi encerrada após às 23 horas dessa segunda-feira, 02.

Com 25 anos de história, a Cafundó do Brejo se tornou em 2018 decacampeã do Arraiá da Capital. Ela, que também foi escolhida como melhor junina nos anos de 93, 95, 96, 98, 99, 2002, 2006, 2012 e 2013, neste ano levou para a arena o tema “Enquanto a cidade dorme”, destacando a luta entre os cangaceiros de Lampião e os volantes do Coronel Zé Pereira (soldados ou contratados que combatiam o cangaço).

A luta sanguenta deu origem a uma maldição que assolava o povo da cidade de Poço Redondo e que só seria “quebrada” com o casamento de dois membros de cada grupo. A saga teve ainda a participação de índios que também habitavam Poço Redondo. E para que essa briga tivesse fim, a Cafundó “levantou dos mortos" cangaceiros e volantes para um último duelo no qual, com a interferência de Padre Cícero, finalmente se promoveu a paz.

Para o presidente da Junina, Cláudio Maranhão, a consagração da Cafundó como decacampeã do Arraiá da Capital é resultado dos 25 anos de história da Junina, que é uma das mais antigas da cidade. “Nós somos a primeira quadrilha de Palmas e isto é resultado de muito trabalho. São seis meses de ensaio, todo mundo trabalhando dia e noite para conquistar esse título. O último título da Cafundó tinha sido em 2013, nos 20 anos da Junina, e agora quando fazemos 25 anos, a gente se torna decacampeã. Para nossa comunidade Cafundó do Brejo isso é importantíssimo”, comemorou. Além do título de campeã, a Cafundó levou também a premiação de melhor marcador, com Rômulo Brasileiro.

Premiação

Em primeiro lugar, a Cafundó do Brejo recebeu o prêmio de R$ 30 mil, além de troféu. A premiação do segundo lugar, para a Coronéis da Sucupira, é de R$ 15 mil e troféu. Já a Caipiras do Borocoxó levou o prêmio de R$ 7.5 mil e troféu.

Também foram premiadas o quarto lugar, com R$ 3,5 mil e troféu para a Pizada da Butina, e o quinto lugar ficou para a Luar de Santo Antônio, que recebeu R$ 2,5 mil e troféu.

Noivos, Marcador e Rainha

O melhor casal de noivo ficou com Júnior e Ana Luísa, da Coronéis da Sucupira. Eles ganharam troféus e R$ 5 mil cada. Já o melhor marcador foi Rômulo Brasileiro, da Cafundó do Brejo, que ganhou R$ 5 mil e troféu. A Rainha do Arraiá, Ana Paula Santos, que já havia sido escolhida na primeira noite do evento, também recebeu o prêmio de R$ 5 mil e troféu.

Grupo de Acesso

No Grupo de Acesso, com o enredo “Tempo, o Senhor do Destino”, a Fulô de Mandacaru ganhou o primeiro lugar, levando para casa o prêmio de R$ 10 mil, troféu e o desafio de fazer parte do grupo especial. Em segundo lugar ficou a Matutos da Noite, que ganhou R$ 7,5 mil, troféu, e também sobe para o grupo especial. Em terceiro a Já Vim, Já Vou levou troféu e R$ 5 mil.

“Foi um trabalho difícil, porque quadrilhas do grupo de acesso enfrentam mais dificuldades. Agora temos mais trabalho para o ano que vem. A preocupação da Fulô do Mandacaru é levar a originalidade e provar para os pais dos brincantes que nós fazemos um trabalho sério. A competição é importante, porque precisamos de recursos, mas o mais prazeroso é ver o sorriso e o prazer dos brincantes que permanecem na quadrilha por amor”, disse Jordania Soares, presidente da Junina. 

Também recebem prêmio o quarto lugar, que ficou com a Encanto Luar, que recebeu troféu e R$ 2,5 mil, e Fogo na Cumbuca com o quinto lugar e o prêmio de R$ 1,5 mil mais troféu. 

No encerramento da premiação, o presidente da Fundação Cultural de Palmas, Giovanni Assis, ressaltou a importância da entrega e paixão das quadrilhas juninas para o sucesso do Arraiá da Capital. “O 26º Arraiá da Capital teve uma avaliação muito positiva, que é resultado do trabalho de equipe da FCP e demais secretarias municipais. Foram mais de 200 pessoas trabalhando, incluindo parceiros externos, um conjunto de gente que fez do Arraiá um evento de sucesso.
Mas nada disso se evidenciaria se não tivessem as Juninas. Elas se entregam, brilham, fazem a festa. E o resultado hoje premiou aquela escola que fez uma excelente apresentação”, ressaltou.