Acadêmicos se apresentam às eleições e imprimem discursos com forte conteúdo

  • 30/Jun/2018 15h57
    Atualizado em: 30/Jun/2018 às 16h01).
Acadêmicos se apresentam às eleições e imprimem discursos com forte conteúdo Foto: Divulgação

As eleições de 2018 no Tocantins ganham novos contornos com a presença de candidatos com currículos acadêmicos robustos. Não que isso seja absoluta novidade. Em outras eleições, professores com mestrado e até doutorado também já participaram dos pleitos. Mas o que chama a atenção para esse ano é a quantidade de acadêmicos com currículos bastante recheados.

Obviamente, a alta escolarização não diz muita coisa. Diante de um contexto sócio-histórico de desigualdades socioeconômicas e culturais tão marcantes, não combina escolados fazerem discursos ortodoxos, que reforçam a manutenção da ordem vigente e do status quo. A aposta num Tocantins mais empoderado e autônomo, com forte produção econômica e inclusão social passa pela propositura de políticas públicas ousadas em áreas já consagradas, como a Educação e a Segurança Pública, e pela valorização de áreas até então marginalizadas, como a Inovação, Ciência e Tecnologia, Arranjos Produtivos Locais e a Cultura.

É nesse sentido que os atuais candidatos oriundos do universo acadêmico parecem apontar, apresentando ao eleitorado tocantinense alternativas de políticas públicas que viabilizem o Estado.

Já conhecido do eleitor do Tocantins, Alan Barbiero se apresenta novamente ao pleito, agora visando ao senado federal. Agrônomo de formação, Alan tem mestrado em Sociologia e Economia e em Desenvolvimento Agrícola, ambos em instituições francesas, e é doutor em Sociologia pela UnB. Foi o primeiro reitor da UFT, além de Secretário Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos e de Planejamento e Gestão na Prefeitura de Palmas. É atualmente suplente de deputado estadual, tendo assumido a vaga na Assembleia Legislativa em 2017, durante licença do deputado estadual Ricardo Ayres.

Na sua pauta temática, o pré-candidato a senador chama a atenção para a implantação do Sistema Estadual de Inovação, Ciência e Tecnologia e para o uso de energias renováveis, sendo um dos principais articuladores dos parques de energia solar.

Arquiteta e Urbanista e mestre em Desenvolvimento Regional, Germana Pires é professora da UFT, tendo como especialidade o Planejamento Urbano e Ambiental. Com essas prerrogativas ela emprestou o seu conhecimento à Prefeitura de Palmas, tendo sido Diretora de Planejamento Urbano na segunda gestão Raul Filho e tendo sido secretária de três pastas diferentes e subsecretária de uma, todas na gestão de Carlos Amastha. Uma das pessoas de maior confiança deste, Germana ocupou a cadeira principal na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, na Fundação Municipal de Meio Ambiente e na Secretaria de Planejamento e Gestão e, por fim, foi subsecretária Municipal de Educação.

Pré-candidata a deputada estadual, Germana traz no discurso a preocupação de se pensar a sustentabilidade às cidades tocantinenses, especialmente as pequenas. Defende a ampliação das experiências de Educação Integral a todas as escolas do Tocantins e se coloca à frente da formulação de políticas de atenção às mulheres.

Gleide Braga é jornalista e bacharel em Direito, especialista em Políticas Públicas e mestranda em Desenvolvimento Regional. Foi Superintendente de Direitos Humanos na primeira gestão de Carlos Amastha e Secretária Estadual de Cidadania e Justiça no último governo de Marcelo Miranda. Além de advogar a humanização do sistema carcerário, Gleide traz como bandeira as causas das minorias, especialmente a juventude das periferias urbanas. Juntamente com Germana, ela também ecoa a causa das mulheres, particularmente as negras.

Professor universitário e pesquisador desde 2000, o professor Adão Francisco acumula um currículo de vasta produção. Na sua formação, ele navega pelas Ciências Humanas, sendo historiador, mestre em Sociologia e doutor em Geografia. Tem como especialidade de discussão e pesquisa o Planejamento Territorial e o Desenvolvimento da Educação. Tem cinco livros publicados e mais cinco em processo de revisão.

Ainda em Goiás, onde iniciou a sua carreira acadêmica, foi professor da Universidade Estadual de Goiás, da Universidade Católica de Goiás e da Faculdade Municipal de Anicuns. No Tocantins desde 2008, veio para ser professor na Unitins, onde ocupou o cargo de Diretor de Pesquisa Institucional. Em 2010 foi aprovado em concurso público na UFT, onde atua até hoje. Nesta instituição foi também Diretor de Pesquisa e Assessor de Relações Institucionais. Em janeiro de 2015 assumiu a Secretaria Estadual de Educação (transformada posteriormente em Secretaria de Educação, Juventude e Esportes) e acumulou, com ela, a Secretaria Estadual de Cultura.

O professor Adão é pré-candidato a deputado federal e uma de suas bandeiras é a implementação de políticas territoriais para o desenvolvimento regional. Ele propõe a criação no Tocantins daquilo que ele chama de Parques Econômico-Ambientais, integrando políticas de Meio Ambiente, Turismo e Desenvolvimento Econômico na constituição de arranjos produtivos locais. Adão é também um dos principais reformuladores do conceito de Educação Integral, compreendida como uma formação escolar multilateral e defendida por ele como uma experiência que integra também a valorização profissional de professores, a gestão democrática da escola, o respeito à sociobiodiversidade e a instituição de escolas sustentáveis.

Escritor de poesias, Adão Francisco também tem vínculos com a Cultura e defende a Economia Criativa e a criação de Arranjos Produtivos de Cultura, valorizando os vários ramos artísticos e a sua relação com a Educação, o que seria possível através da subvenção do Estado, mediante o lançamento de editais.

*Por Professor Adão Francisco - historiador, mestre em Sociologia e doutor em Geografia.