Mais uma jogada (mal intencionada) dos maus políticos: criar novos municípios

  • 30/Mai/2018 09h00
    Atualizado em: 30/Mai/2018 às 09h04).
Mais uma jogada (mal intencionada) dos  maus políticos: criar novos municípios Foto: Divulgação

Sempre digo que tudo se espera dos políticos, que, além de usar dos cargos e de suas polpudas verbas, encontram outros caminhos de angariar meios de permanecer no poder.

Um projeto de lei complementar já foi aprovado no Senado e pode ser votado no Plenário da Câmara muito em breve, que visa à criação de cerca de 200 novos municípios que tenham pelo menos seis mil habitantes. Delegações de emancipacionistas das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, pressionaram a comissão especial da Câmara para a criação de municípios.

Por unanimidade, o colegiado presidido pelo deputado Hélio Leite (DEM-PA), acatou um projeto de lei complementar (PLP 137/15) do Senado, que prevê plebiscito e estudos de viabilidade municipal para criação, incorporação, fusão e desmembramento de municípios. 

Entre os novos critérios exigidos, está a necessidade de a população do novo município e do que será desmembrado ser de pelo menos 6 mil habitantes, nas regiões Norte e Centro-Oeste. A população municipal mínima sobe para 12 mil habitantes no Nordeste; e para 20 mil, no Sul e Sudeste.

Para evitar atrasos na tramitação, o relator da proposta, deputado Carlos Henrique Gaguim (Pode-TO), rejeitou outros seis projetos de lei de deputados que tramitavam apensados à proposta do Senado. Gaguim também anunciou o apoio do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, na busca pela aprovação definitiva do texto.

Como se sabe, o deputado Carlos Henrique Gaguim, do meu espoliado Tocantins, é natural de Ceres (GO), e chegou ao nosso Estado “puxando uma cachorrinha pela corda”, e subiu vertiginosamente: era motorista do ex-deputado estadual Lindolfo Campelo da Luz, em Miracema do Tocantins, e resolveu entrar na política, onde foi vereador, deputado estadual, governador do Estado e agora deputado federal.

Hoje, segundo levantamento feito pela “Agência da Notícia” dentre os 513 deputados federais, Carlos Gaguim figura como o décimo-primeiro parlamentar mais rico da Câmara dos Deputados, com um patrimônio declarado de R$ 10.346.563,22. Isto é apenas para ilustrar o que vou dizer.

A criação de municípios é alta e politicamente rentável para o deputado que a patrocina e a incentiva, pois lhe dá visibilidade e fá-lo surgir como “o criador” da nova unidade municipal., como ocorreu com a criação do Tocantins, quando Siqueira Campos apareceu como o carro-chefe e consolidou-se politicamente por essa fama, embora se saiba que – sem lhe tirar os méritos na implantação do Estado – ele, na verdade, aproveitou a carona da História, que vinha sendo construída secularmente.

Mas voltemos à proposta da criação de duas centenas de novos Municípios.

Com o compromisso – segundo Gaguim – de o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, votar em plenário ainda neste semestre, “para melhorar o Brasil”, observem o que ocorrerá: serão mais duzentos prefeitos, duzentos vice-prefeitos, no mínimo 1.800 vereadores, milhares de secretários, milhares de cargos comissionados, a formação de uma infraestrutura mínima para abrigar tantos órgãos e todos os penduricalhos, como móveis, veículos e tudo o mais.

Os ávidos deputados não querem melhorar o Brasil coisíssima nenhuma: estão mesmo é atrás da formação de colégios eleitorais, que, embora “currais” pequenos, sempre acrescentam votos para continuarem no poder, cada vez locupletando-se ainda mais.

Já temos 5.570 municípios, que estão sobrevivendo a duras penas, com precaríssima saúde, com as prateleiras dos postos de saúde vazias; uma sofrível segurança pública, com profissionais desestimulados com salários vis e ainda por cima sempre em atraso; uma educação faz-de-conta, com professores mal remunerados, sem bibliotecas básicas e sem merenda escolar; sem saneamento básico, com esgotos a céu aberto, sem se falar em outras coisas.. Não dá para se aceitar mais isto!

Os emancipacionistas lotaram o “Auditório Nereu Ramos”, o maior da Câmara, para acompanhar a votação das novas regras de criação de municípios. Munidos de faixas e cartazes, eles comemoraram a aprovação do texto cantando o Hino Nacional.

Isto é uma vergonha, pois, sabidamente, esses pilantras querem, na verdade, é ampliar seu universo de eleitores, com esse criminoso engodo.

O eleitor deve anotar os nomes desses “heróicos” defensores dessa estapafúrdia ideia de se criarem mais municípios, que fatalmente agravarão nossa crise econômica.

Não os reeleja, pois estão mais do que explícitas suas intenções. (*Por Liberato Póvoa)