Tocantins terá oito representantes no Salão do Artesanato de Brasília

  • 22/Mar/2018 15h53
    Atualizado em: 22/Mar/2018 às 15h57).
Tocantins terá oito representantes no Salão do Artesanato de Brasília Foto:

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura (Seden) divulgou nesta quarta-feira, 21, lista com os nomes dos artesãos tocantinenses classificados para participar do 10º Salão do Artesanato de Brasília-DF. O evento será realizado de 4 a 8 de abril, no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade (ExpoBrasília).

O Salão do Artesanato de Brasília é a maior vitrine do artesanato brasileiro, e reúne artesãos de todo o país em um único espaço, com diversas produções artesanais que representam a cultura popular de todos os estados brasileiros.

Foram contemplados cinco artesãos individuais e três entidades representativas (associação, cooperativa, entre outros) que atenderam os critérios do Edital de Chamamento Público nº 01/2018. Os selecionados levarão a diversidade de tipologias do artesanato do Estado ao evento.

O edital visa contemplar artesãos tocantinenses que confeccionam peças com matérias-primas a partir de madeira, cerâmica, couro, capim dourado, fibras, sementes, cascas, cristais, flores, folhas do Cerrado, buriti, babaçu, além do artesanato indígena. Durante os dias de feira, os artesãos poderão divulgar e comercializar seus produtos artesanais em um espaço coletivo de 50 m².

Classificados
Na categoria individual, os classificados foram: Elisângela Ribeiro Amâncio, do município de Xambioá, com sua produção de biojoias com madeiras, sementes e fibras; Josias de Sousa Menezes, do município de Gurupi, com produção de mesa de centro, cadeira de praia, bancos e utensílios doméstico em madeira; Marcio Bello dos Santos, do município de Porto Nacional, com produção de miniaturas em casca de cajazeira, instrumentos musicais em madeira, cerâmica e pele de animal, gravuras, esculturas étnicas em cerâmica; Guilherme Augusto dos Santos, de Palmas, com a produção de bonecos de jatobá, bucha vegetal e cabaça, quadros e porta-chaves com talos de buriti; Lúcia de Carvalho Gomes, de Palmas, com a produção de bijuterias e acessórios em capim dourado e seda do buriti.

Já na categoria entidades representativas, foram classificados: a Associação dos Artesãos de Capim Dourado Pontealtense (AACDP), de Ponte Alta do Tocantins, com a produção de Sousplat, bolsas, fruteiras, mandadas, espelhos e biojoias em capim dourado e Seda do Buriti; Casa de Cultura Karajá Tapirapé, do município de Lagoa da Confusão, com a produção de Bonecas Ritxoko, pratos e panelas em cerâmica; chaveiros, remos e espadas de madeira; esteira, cestos e bolsas em Palha de Buriti; e a Associação Dianapolina de Artesãos (ADA), do município de Dianópolis, com a produção de Biojoias, carteiras e utilitários em capim dourado e jarros em cerâmica.(Com informações da Secom/Governo do Tocantins)