Ministério da Saúde libera recurso, mas Tocantins fica de fora

  • 01/Mar/2018 10h51
    Atualizado em: 01/Mar/2018 às 16h47).


O Ministério da Saúde liberou no início desta semana R$ 61,1 milhões para ciurgias eletivas. A verba vai atender a 17 estados que cumpriram a meta de produção estabelecida deste tipo de cirurgia, conforme determinação do ministério.  O Tocantins, no entanto, não será contemplado com o recurso. 

Apesar da Secretaria Estadual da Saúde afirmar, por meio de nota, que o Tocantins conseguiu ultrapassar o percentual de cirurgias estipulado pelo Ministério da Saúde,  o Estado não está contemplado na lista divulgado pelo governo das federações que irão receber a verba.  Os R$ 61,1 milhões vão ser divididos entre os estados de Goiás, Pará, Paraíba, São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Bahia, Mato Grosso, Alagoas, Ceará, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. 


FILA ÚNICA
Em 2017, o Ministério da Saúde, em uma ação conjunta com estados e municípios, adotou o modelo de fila única para cirurgias eletivas em todo país. Foi feito um levantamento inédito de toda a demanda do SUS por estado para organizar a rede de saúde, acelerar o atendimento do cidadão e reduzir o tempo de espera. Para isso, além do valor repassado mensalmente, foram garantidos R$ 250 milhões extras. 


Confira, abaixo, nota emitida pela Secretaria da Saúde do Tocantins


Nota de Esclarecimento



A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que a gestão estadual do Tocantins pactuou com o Ministério da Saúde S a realização de 1.885 procedimentos cirúrgicos no período de julho a dezembro de 2017, na forma de rotina e mutirões Neste período foram realizadas 2.466 cirurgias eletivas, destas 1.328 foram de procedimentos contemplados na Portaria nº 1.294/GM/MS de 25/05/2017.



Ressaltamos que os procedimentos realizados podem ser faturadas com até três meses consecutivos, ou seja, a quantidade de procedimentos realizados podem ser superior as informações atual do sistema.



Conforme descrito o Estado realizou mais procedimentos eletivos do que o pactuado, entretanto existem procedimentos cirúrgicos realizados não contemplados na avaliação de cumprimento de meta de produção estabelecida na Portaria.



A SES destaca que continua a realizar cirurgias eletivas por meio de rotina e mutirões, a fim de atender toda a demanda do Estado.



Palmas, 28 de fevereiro de 2018