Teste de Aptidão Física exige cuidados com a saúde

  • 06/Fev/2018 18h33
    Atualizado em: 06/Fev/2018 às 18h40).
Teste de Aptidão Física exige cuidados com a saúde Foto: Assessoria

Por Gabriela Melo

A cidade de Palmas foi considerada a capital mais jovem e mais saudável do Brasil em 2017. Mesmo com hábitos saudáveis predominando, o Teste de Aptidão Física (TAF) do concurso para a Polícia Militar do Tocantins (PM-TO) tem sido motivo de preocupação para os tocantinenses. As mortes ocorridas durante a prova do concurso da Polícia Militar do Maranhão (PM-MA) assustam os concurseiros que estão se preparando.

Nos últimos dias, duas pessoas morreram durante o TAF do Maranhão. A candidata Daniele Nunes Silva de 24 anos sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) na pista de corrida da prova e o candidato Marcone Ferreira Cordeiro se sentiu mal, voltou para a pista após ser atendido, mas não resistiu morrendo com um quadro de trombose venosa profunda.

O médico especialista em Cardiologia e Terapia Intensiva, Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia Seccional Tocantins, Wallace Andre, explica que é necessário ter um acompanhamento antes de realizar um teste como esse. “Para que esse tipo de situação não aconteça no Tocantins, é necessário que os candidatos procurem um especialista para fazer uma avaliação cardiovascular e realize um teste ergométrico que simula o TAF. É um teste, simples, rápido, fácil de fazer e que na presença de cardiomiopatias graves que possam levar a um quadro de arritmia ou parada cardíaca como é o caso das cardiomiopatias hipertróficas, como foi visto na morte do Serginho, jogador de futebol do São Caetano, isso não aconteça”, alerta.

Tempo de preparação
O TAF ainda não foi marcado. Os candidatos serão convocados após a aprovação na prova escrita do concurso. A candidata Anna Karolynne Pereira começou a estudar para a prova escrita há seis meses e a preparação física com profissionais há um mês. Ela conta que realizou exames cardiológicos por outros motivos e que o medo maior é de não conseguir completar a prova. “Os casos do maranhão não me assustaram tanto. Tem gente que está esperando a prova para poder treinar, eles têm que ter mais medo. O meu medo maior é não conseguir”, explica Anna.

O preparador físico e coach esportivo, Eduardo Silva, recomenda procurar um médico e iniciar os treinamentos com antecedência para que chegue no dia da prova com uma condição física ideal. Ele alerta que um bom condicionamento pode diminuir esses riscos, como aconteceu no Maranhão.

“É importante que a pessoa tenha o hábito da atividade física não só para o TAF, mas para a vida. O tempo de preparação depende muito do histórico do candidato. Se for uma pessoa que tem uma memória muscular, que já foi treinada, ela consegue atingir um nível de treinamento em um tempo menor do que uma pessoa que sempre foi sedentária. Quanto mais sedentário for, mais rápido tem que procurar uma pessoa qualificada para orientar e começar a treinar. Para esse concurso o prazo está reduzido, mas isso não significa que não dá tempo, só exige uma dedicação maior” destaca Silva.

Alimentação
O cardiologista Wallace Andre explica que as atividades que demandam maior risco são aquelas que exigem preparo físico com maior gasto energético. A corrida é uma delas e o preparo é muito importante. O candidato tem que estar preparado mentalmente, fisicamente, com uma boa alimentação, evitar previamente os excessos de sal, gordura, frituras, refrigerantes, bebidas alcóolicas, o uso de substâncias excitatórias como os energéticos, uso de tabaco e no dia do exame comer comidas leves. Dependendo da hora e do tipo e da hora da atividade física, deve inerir mais carboidratos para ter mais força e energia para gastar durante a atividade. Os treinamentos devem ser feitos de maneira regular, sempre com o acompanhamento de um educador físico e um fisioterapeuta.

O coach esportivo também alerta para o risco no uso de estimulantes. “Acontece muito é a pessoa querer usar o termogênico, usar algumas coisas que eu não indico. Alguns nunca usaram suplementos, chegam no dia da atividade e querem usar até estimulantes, o que eu não indico de forma alguma, pelo contrário, recrimino”, ressalta.

Exames preventivos
Segundo o cardiologista, as pessoas que tiveram problemas de saúde na prova, provavelmente sofriam de alguma patologia cardiovascular importante e desconheciam o fato. Para prevenir a situação, ele recomenda aos candidatos que fiquem tranquilos, realizem um exame físico com um cardiologista, uma análise minuciosa, onde o especialista vai colher informações sobre o candidato. Façam raio-x de tórax, eletrocardiograma em repouso e teste ergométrico.