Mais de 17.000 pessoas já se inscreveram para 43 vagas de nível fundamental, médio e superior

  • 06/Fev/2018 18h20
    Atualizado em: 06/Fev/2018 às 19h01).
Mais de 17.000 pessoas já se inscreveram para 43 vagas de nível fundamental, médio e superior Foto:

Após 23 anos de espera, o concurso do legislativo municipal está aberto com vagas para nível fundamental, médio e superior. Até o fechamento desta edição mais de 17.000 estavam inscritos para o Quadro Geral e mais de 200 para os cargos de Procurador.Cobrado pela população e muito discutido entre os vereadores, o concurso da Câmara Municipal de Palmas está com edital publicado e inscrições abertas até dia 22 deste mês. O último concurso público da Casa de Leis foi realizado há 23 anos, em 1995. Após anos de discussões entre os próprios parlamentares, o certame teve andamento em 2017, com 43 vagas e terá as provas objetivas para todos os cargos encerradas até maio de 2018.
De acordo com a legislação, os cargos de gabinete não podem ser ocupados por concursados, pois mudam de acordo com a escolha dos vereadores a cada mandato por se tratar de cargos de confiança. Os servidores da Casa, por sua vez, receberão colegas efetivos para realizar as tarefas do legislativo municipal.
O presidente da Câmara, Folha Filho (PSD) ressaltou o compromisso de sua gestão com a realização do concurso. “Estamos cumprindo o compromisso feito quando assumi a presidência da Câmara. Tenho certeza de que quem estudar e se preparar poderá ter êxito. A Copese tem credibilidade e nos demonstrou estar qualificada para realizar o certame”, destacou o presidente lembrando da banca responsável, a Comissão Permanente de Seleção da Universidade Federal do Tocantins (Copese/UFT).
Presidente da segunda comissão, instituída em 2017 para fazer um estudo para a realização do concurso, o vereador Gerson Alves (PSL) afirmou que o número de vagas foi baseado de acordo com o recurso da Casa, as finanças. “Não podemos colocar 100 vagas se a Casa de Leis não tem condições financeiras de bancar o número. Vai atender a necessidade para o funcionamento da Câmara. Acredito que além da estabilidade para o concursado, é uma forma de a instituição mostrar transparência ao que está fazendo. Por que colocar Maria e não João? O concurso dá oportunidade para todos e não teria forma melhor para adquirir uma pessoa qualificada para cada setor”, explicou Alves.
O vereador professor Júnior Geo (PROS) destaca que tem cobrado a realização do concurso desde 2013 e comemora a sua realização apesar de insatisfeito com o número de vagas. “A presença de pessoas concursadas no serviço público contribui para a isonomia e moralidade, beneficiando a população, principalmente quando se trata de um meio político. Lutei para que o concurso ocorresse e que houvesse mais vagas, mas infelizmente não ocorreu dessa forma. Ainda assim, comemoro a realização do concurso, mais do que necessária”, destacou o parlamentar.