Agrobrasil S/A

JATUARANA-BOCUDA

29/09/2014 09h11 | Atualizado em: 29/09/2014 09h19

Divulgação
Bela e Ligeira

Tai mais um peixe pronto para atender a indústria sardinheira brasileira.Jatuarana-bocuda parece nome de criatura de brabeza, no entanto não. Trata-se de um bicho de acuidadeacomodada no seu refrigério. Formosa por sua beleza e presteza, dispondo de acrescentamentos de bondade excepcionais, como a esportividade e festividade em grandes cardumes. Segue a risca a tradição da família dos Hemiodontidae.

Identificada nas pescarias quando salta fora d’água, reconhecida pelo seu rabo bifurcado, parecido com duas penas, que certas ocasiões são confundidas com outros peixes voadores.

A qualidade de sua carne é outra virtuosidade deste peixe, assaz cobiçada pelos pescadores, lá pras bandas de Tocantínia, que até ganhou apelido de Piau-voador, denominação utilizada pelo experiente pescador Adriano do Pernambuco,meu consultor para assuntos de pescarias de mergulho e de barranco.
 
Características
Jatuarana-bocuda, com nome científico de Anodus orinocensi, popularmente também conhecida por Orana, Ubarana, que na língua indígena – ubá (flexa) e iwá rana (semelhante), semelhante a uma flexa, pertencente a famíliaHemiodontidae.
Seu corpo alongado, fusiforme, tem o desenho de um míssil, recoberto por escamas-finas, de coloração cinza prata, bem uniforme, apresenta tamanho abaixo dos 35 cm e 2 quilos. Cabeça pequena, olhos posição baixa, com boca grande em relação ao tamanho da cabeça, maxilas sem dentes. A nadadeira caudal, diferenciada escurecida e bem bifurcada.

Ocorrência
A Jatuarana (Anodus orinocensi)se restringe às bacias dos rios Amazonas e Araguaia-Tocantins. Pertence a um gênero que conta com mais de 60 espécies nominais, das quais aproximadamente 40 distribuem-se pelas Américas Central e do Sul, onde algumas dessas espécies podem atingir até um metro de comprimento e passar dos nove quilos.Nas nossas águas temos informação da presença de 9 espécies destes peixes voadores.

Habitat
Prefere águas limpas, temperaturas entre 27ºC, PH entre 6,5 a 7,0e pode ser encontrada nas corredeiras e remansos dos rios.

Hábitos
Prefere canais, leitos de rios, locais de águas rápidas e corredeiras perto de fruteiras. Geralmente, estão mais ativas durante o dia ou ao entardecer, com luminosidade mais fraca. Encontradas durante o ano todo, principalmente na época da seca e quando a água está mais limpa, preferencialmente na coluna d’água entre obstáculos semi-submersos como pedras e galhadas.Normalmente, estão agrupados em grandes cardumes.
Pela formação do rabo diferenciado, este peixe consegue rápido deslocamento e ejetamento fora da água de causar assombro.
A espécie tem linha lateral bastante desenvolvida, o que a deixa muito atenta a sensíveis variações no ambiente.

Alimentação
Espécies onívoras que se alimentam de frutos, sementes, insetos e eventualmente de pequenos peixes. Acredito que a Jatuarana-Bocuda aceitará facilmente a ração artificial.

Reprodução
O início da reprodução coincide com o aumento da temperatura da água, da precipitação pluviométrica e número de dias de chuva. Por ser um peixe que realiza a desova total, ou piracema, a Jatuarana faz longas migrações rio acima para se reproduzir. No início da enchente, formam grandes cardumes para a desova.
As Jatuaranas apresentam dimorfismo sexual, ou seja, quando há ocorrência de indivíduos do sexo masculino e feminino de uma espécie com características físicas não sexuais marcadamente diferentes a exceção o tamanho, sendo que as fêmeas possuem comprimentos maiores do que os machos.Primeira maturação sexual com cerca de 190 mm.Acredito que a Jatuarana aceitará facilmente a reprodução artificial.

Pesca Esportiva
Malabarista, a Jatuarana-bocuda a ser fisgada dá formosos vôos ou saltos, como o Dourado ou a Matrinchã, proporciona pescaria delirante e com emoção garantida, seja na explosão de superfície ou no arrebatamento.

Dica para pescá-lo
A espécie, bastante arisca, costuma ficar em locais de águas rápidas e batedeiras próximas as estruturas de pedrais e de garranchos, sempre na sombra. Como se trata de uma espécie que dá saltos e puxadas fortes, é preciso usar equipamentos mais fortes, para evitar que ela vá para o enrosco. Quando um bom exemplar é fisgado na corredeira, a melhor tática é descer o rio, evitando que o peixe use a força d’água para entortar os anzóis ou estourar a linha. Podem ser encontradas nas corredeiras e nos remansos, sempre em pequenos cardumes. Quando fisgadas, a tendência é levar a isca para o fundo, inverso da Matrinxã.

Equipamentos
Indicado varas do tipo médio com linhas de 10 a 17 lb e anzóis de nº2/0 a 6/0.

Iscas
Iscas artificiais, como colheres e plugs; e iscas naturais, frutos, flores, insetos, minhoca, coração ou fígado de boi em tirinhas.As iscas artificiais mais eficientes são as colheres e spinners.

Subsistência
A carne de pescado representa uma das principais fontes de proteína e cálcio na dieta da população ribeirinha, especialmente para classes de pescadores de menor poder aquisitivo. Além disso, a atividade pesqueira praticada pelos ribeirinhos caracteriza-se por ser grande geradora de emprego, renda e tributos.
Entre as espécies forrageiras preferidas a Jatuaranaesta em lugar cativo. É mistura das boas para acompanhar arroz e farinha, prioridade diária dos ribeirinhos.