Agrobrasil S/A

Aquicultura

22/09/2014 09h36 | Atualizado em: 22/09/2014 09h47

Divulgação
Aprimorar é preciso

A aquicultura viveu nas duas derradeiras décadas o seu momento de ouro. Pesquisa e produtividade determinaram os rumos do setor, hoje, visto de modo bem diferente até pela sociedade.

Atribui a evolução a um sucesso coletivo, e diz que uma das evidências nesse crescimento fora pela insistência e querência dos produtores rurais, coberto pela adaptação de espécies amazônicas trazidas para os criames pelas mãos da extensão rural (ate então mesmo desmantelada), concomitantemente com as técnicas de reprodução nas espécies nativas, disseminação das tecnologias contemporâneas e aprimoramento das rações extruzadas, que colocaramo país na cabeceira entre os principais produtores de peixes do mundo.

A força da aqüicultura passa também pela modernização das indústrias brasileira desse setor.
O avanço obtido pelo setor até agora, no entanto, inda não é suficiente. O país necessita aprimorar a qualidade da carne do pescado, adquirir marca,buscar denominação de origem e diversificar os criames com refrigério de contingentesde outras espécies e buscar a exportação. Importante também para isso acontecer éprocurar a padronização da carne do pescado.

Avançamos, mas ainda temos muita atmosfera adversa a vencer.
Avaliando o cenário deste ano e de 2015,a aqüiculturaapresenta uma conjuntura boa. Falta peixe no mercado, gerando preços melhores para os aquicultores que tiveram uma elevação de renda nos últimos anos. Foi bom para os produtores.

Peixes para isso não faltam no Brasil, só nas águas amazônicas devidamente catalogadas são mais de duzentas espécies com importância comercial.
Três espécies de peixes (bacalhau, salmão e tilápia) dominam pra mais de 80% do mercado mundial, circulando acima de 50 bilhões de dólares. Neste mercado a inserção do Brasil é zero ao quadrado.

Aqui no Tocantins o avanço obtido fincou barbatanas, tomou água dos grotões e ficou.Por ora o tambaqui toma conta dos criames, veio lá da Amazônia Ocidental, peixe de fácil adaptação, aceita reprodução por hipofização, sexualmente prolifero, de crescimento vigoroso, alem de filtrador e aceitar bem as rações artificiais.
Quanto a sua carne apresenta forte estrutura e aroma inconfundível, mostrando um pouco mais dos sabores do Brasil.Alem do peixe assado, as costelinhas do Tambaqui estão fazendo alegria de muitos Chef´s de cozinha e glutões de grandes centros brasileiros.

Sugestões

Assados inteiros ou metade, utilize um tambaqui de 2 kg, suco delimão
3 colheres (sopa) de Fondor (procure na internet o seu preferido) e meia xícara (chá) de azeite. Se preferir, prepare o tambaqui na grelha, com a pele voltada para baixo. Vire o peixe para que doure dos dois lados.

Caldeirada de Tambaqui, empregue2 Kg costelinhas de tambaqui
exemplar de 5 Kg, suco de 4limões, 5 dentes de alho amassados, 2 cebolas cortadas em cubos, 3 pimentas dedo de moça, 3 tomates Santa Cruz ou semelhante cortados em cubos, 1 maço de cheiro verde picado, 1 Kg de batatas cozidas cortadas ao meio/ três ovos cozidos inteiros e azeite. Aqueça o azeite em uma panela grande e refogue o alho e a cebola até dourar ligeiramente. Junte as verduras restantes, mexa um pouco. Junte ripas e mexa cuidadosamente para misturá-los com as verduras, refogando-os por um pouco mais. Junte a água e deixe ferver por 25 minutos, Acrescente as batatas, os ovos (inteiro) cozidos e por ultimo polvilhe a superfície da caldeirada com cheiro verde.
Para acompanhar, vinho branco.
Bom Apetite e viva a semana do peixe!