Geral

Produtores de soja reivindicam adequações ao Código Florestal

26/10/2017 11h03 | Atualizado em: 26/10/2017 11h06

Koró Rocha
Em visita ao presidente da Assembleia Legislativa, Mauro Carlesse, na tarde desta quarta-feira, 25, a nova diretoria da Associação dos Produtores de Soja e Milho (Aprosoja-TO) apresentou as demandas do setor, dentre as quais as reivindicações relativas ao projeto do Código Florestal que tramita na Casa de Leis.

Os produtores demonstraram ao presidente preocupação quanto a insegurança jurídica relativa às áreas de reserva ambiental que estão sendo questionadas pelo Ministério Público, além de queixarem dos valores das taxas cartoriais, e sugeriram adequações ao projeto do Código Florestal que deem ao produtor prazo de 90 dias para regularização de qualquer inconformidade.

“A área usada na plantação de soja corresponde a 3% do território estadual, quando no Brasil é 10%. Por outro lado, o setor gera cerca de metade da arrecadação do Estado”, disse Maurício Buffon, presidente da entidade.

O presidente da Comissão que analisa o projeto de lei do Código Florestal, deputado Olyntho Neto (PSDB), pediu que a associação apresente uma proposta.

Participaram também da reunião os deputados Zé Roberto (PT), José Bonifácio (PR), Wanderlei Barbosa (SD) e Valdemar Júnior (PMDB).