Educação

Ao fim da greve, Sintet agradece apoio recebido de pais e alunos

27/09/2017 23h37 | Atualizado em: 27/09/2017 23h45

Divulgação
Após decisão da Assembleia de Professores da Rede Municipal de Ensino de encerrar o movimento grevista, na noite de terça-feira, 26, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Tocantins (Sintet) Regional de Palmas, através de Nota divulgada nesta quarta-feira, 27, agradece apoio e solidariedade recebidos de pais, mães e  alunos, e lamenta decisão da Prefeitura de descartar a possibilidade de reposição dos dias parados. Veja a seguir a íntegra da nota do Sintet.

Nota de Agradecimento

O Comando de Greve, em nome da Direção do Sintet (Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Tocantins) e da categoria de profissionais da educação do município de Palmas, agradece as manifestações de apoio e solidariedade de pais, mães e estudantes da rede municipal de ensino às nossas reivindicações.

Infelizmente, devido ao descumprimento de acordo firmado com nossa categoria profissional e o não pagamento de direitos há muito atrasados pelo Chefe do Poder Executivo Municipal de Palmas fomos forçados a paralisar nossas atividades. A greve é uma medida extrema que desagrada também a todos nós, entretanto, como um remédio amargo, que se toma quando outros remédios já não fazem efeito, foi o último recurso à nossa disposição a partir do momento em que o bom senso deu lugar ao capricho e a indiferença da parte de Carlos Amastha, quem poderia ter resolvido as pendências.

Todos nós lamentamos imensamente que se tenha chegado a essa situação. Também lamentamos que a oportunidade que todos os envolvidos têm para minimizar esses prejuízos, que é a reposição de todas as aulas perdidas, seja unilateralmente descartada pelo Prefeito Carlos Amastha, orientado pelo Secretário Danilo Melo de Sousa. Causa perplexidade a forma como o Procurador Geral do Município, o Senhor Públio Borges, representando o Chefe do Executivo na Audiência Pública realizada no dia 25/09/2017, tenha se negado reiteradamente a aceitar a reposição das aulas, aulas comprovadas e inequivocamente perdidas por imensa parcela das crianças nesses 20 (vinte) dias de greve.

A sociedade palmense de modo geral, e as crianças em particular, não merecem ser penalizadas pelas escolhas políticas orientadas por caprichos e mesquinharias do Executivo Municipal e do grupo político que o sustenta. Nós, profissionais da educação de Palmas, reafirmamos nosso compromisso de repor todas as aulas que o poder público fez com que fossem perdidas e, mais uma vez, obrigado!