Economia

Projeto de Patrulha Mecanizada leva melhorias ao homem do campo em Palmas

24/01/2017 15h52 | Atualizado em: 24/01/2017 15h56

Valério Zelaya
Proporcionar melhoria em todo o processo de produção agrícola aos pequenos produtores rurais da Capital, o projeto de Patrulha Mecanizada Rural, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural, vem proporcionando aos pequenos produtores rurais assistência técnica e fomento para melhor aproveitamento das propriedades, com vistas a tornar estas propriedades autossuficientes.

O projeto se divide em duas modalidades, a Patrulha Mecanizada Agrícola, e a de Terraplanagem Rural, todas voltadas à produção agrícola e ao escoamento desta. “Além disso, ajudamos a fixar o homem no campo, com renda e produção de alimento. Temos interesse cada vez maior de famílias produtoras de Palmas, desde a safra 2013/14”, avaliou Sahium.

A Patrulha Mecanizada Agrícola atende, hoje, em Palmas, 960 pequenos produtores rurais, e consiste primeiramente na elaboração de um projeto de cultura agrícola para produtores rurais, onde deve-se ter como base o tipo cultura agrícola a ser implantada na propriedade rural, onde receberão auxílio da assistência técnica e extensão rural da Seder para a elaboração e implementação. Após a elaboração do projeto será realizada uma análise do solo, sendo esta metade do valor subsidiado pela Seder, e o restante custeado pelo produtor rural.

O secretário de Desenvolvimento Rural, Roberto Sahium, explica que projeto pode vir a atender aos diversos tipos de produção agrícola, conforme a necessidade do produtor, bem como adaptação ao tipo de solo da propriedade, seja ele, criação de galinhas, gado, porcos, ou produção de milho, mandioca, etc. “Dentre as etapas de aplicação do projeto, a preparação e aração do solo é onde se trabalha fundamentalmente com a patrulha mecanizada, deixando este solo de acordo com a necessidade do projeto a ser implantado”, destacou Sahium.

Além da preparação do solo e assistência técnica, o gestor ressalta que o município também realiza nestas propriedades, caso haja necessidade, o melhoramento do solo, principalmente com a aplicação de calcário. “Nós temos aqui uma região de cerrado, uma região de baixa fertilidade, de acidez comprometida e nós já fazemos a calagem para o melhoramento da produção”, explica o gestor.

E para melhor aplicabilidade do projeto, a Prefeitura disponibiliza máquinas para distribuir calcário, plantar, fazer canteiros, distribuir adubos e, segundo adiantou o secretário, com vistas ao melhoramento contínuo nos atendimentos aos produtores, a Seder protocolou junto ao Ministério da Agricultura projetos para aquisição de máquinas para produção de feno e perfuração de pequenos poços.

Quanto às datas para solicitar o apoio técnico para iniciar um projeto, o secretário adianta que não há necessidade de esperar o lançamento do Projeto Agosto Verde, que segundo ele é o marco importante para iniciar os trabalhos do ano agrícola em Palmas, onde busca-se criar uma cultura de planejamento junto ao pequeno produtor rural. Basta ao produtor procurar a Seder em qualquer momento para iniciar as conversas sobre o projeto. Ele também adianta que quanto antes o produtor procurar o órgão, melhor será para o planejamento e a aplicação.

Terraplanagem Rural
Na parte de terraplanagem rural, onde há em Palmas em torno de 4,100 km² de áreas vicinais, o projeto contempla, não apenas a conservação e manutenção das estradas, mas também a construção e conservação de pontes de acesso a zona rural.

Este ano os trabalhos terão início a partir do mês de fevereiro, com a recuperação das estradas vicinais, e principalmente com as pontes que foram as mais prejudicadas neste período chuvoso. “Vamos iniciar os trabalhos priorizando a construção da ponte do Vão do Lajeado, Ponte do Geladeira, no assentamento de acesso ao Veredão e Três Penas, Piabanha, e também consertando a ponte do Assentamento Jaú que dá passagem a rodovia Palmas/Miracema, km 18 com acesso ao Sucupira”, ressaltou Sahium. (Secom/Palmas)