Carta ao Salomão

Amigo Salomão

23/03/2016 14h31 | Atualizado em: 23/03/2016 14h33

Foto: Reprodução
Essa carta que inicio tem um significado muito especial. Primeiro porque estou escrevendo da redação do O Jornal, ao lado de sua eterna Joana, e também por ser a última carta que lhe enviaremos, enfim vamos lhe dar sossego.

Mas já que é a última, não poderíamos deixar de te contar o que se passa por aqui. A coisa tá feia, e se você aqui estivesse acho que daria uma escapadinha lá pras bandas do Gongomé, aproveitava e passava em Mossâmedes pra visitar o Cabrito (Amigo do Zorro) que voltou pra sua terrinha.

Na verdade tá uma confusão danada. Lembra quando o povo saiu às ruas em 1992, pintou a cara e provocou o impeachment do então presidente Fernando Collor por causa de um Fiat Elba. E depois a justiça disse que foi engano e o absolveu das acusações? Pois é, agora voltaram às ruas numa marcha contra a corrupção e querem Dilma fora do Governo e o ex-presidente Lula na cadeia. Não tô de sacanagem não... é verdade, pode perguntar aí pro João Ribeiro que ele já deve estar sabendo.
Se o impeachment é a solução eu não sei amigo, mas o fato é que a corrupção no Brasil tomou proporções alarmantes e precisa ser combatida. E não é só reformulando a cúpula politica não, é preciso cortar a corrupção na sua base. Dos eleitores que vendem seu voto. Dos funcionários públicos que atestam notas frias, passando pelos que fazem das diárias um complemento salarial, os que pedem propina para agilizar processos e executar vistorias, até chegar aos detentores de mandato eletivo que orquestram as grandes manobras que desviam milhões de reais, como no caso da Petrobras.

Politicamente falando a situação é a seguinte: as oposições se uniram numa só voz contra a continuidade do PT no Governo Federal (pensar em mais 8 anos fora do poder, enlouqueceu alguns). Sim, a continuidade, pois há poucos meses o ex-presidente Lula era o mais cotado para suceder sua sucessora Dilma. Uma onda de ataques aos petistas tomou conta do cenário e, acho que não avisaram ao Juiz Federal Sergio Moro, do Paraná, que era só pra enfraquecer uma possível candidatura do Lula e o Magistrado levou a sério e taí a Operação Lava jato limpando a casa.

Uma coisa é certa, sujeira sempre teve, mas era varrida pra debaixo do tapete. Guarda aqui, agasalha ali... e ninguém era punido. Esse tempo ficou pra trás, o povo esta indo mesmo pra cadeia Salomão. Quem imaginava o José Dirceu, considerado o homem mais poderoso de Brasília, na cadeia? O ex-presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht um dos homens mais ricos do País... preso. E o fenômeno eleitoral e “pai dos pobres”, Luiz Inácio Lula da Silva impedido pela justiça de tomar posse como Ministro e com pedido de prisão expedido pelo Ministério Público de São Paulo. Na verdade Lula chegou a tomar posse, mas ficou somente 3 minutos, o que lhe valeu o apelido de Ministro Miojo.

A coisa vai mesmo pegar por aqui. Sobrou para o Michel Temer, Renan Calheiros, Eduardo Cunha e pro Aécio Neves. Pelo andar da carruagem e se houver mais delação premiada pode alcançar o Fernando Henrique e o Sarney.

Pra bagunçar ainda mais o cenário criaram uma “janela” pra facilitaro troca-troca de partidos e dar aos políticos a oportunidade de negociarem uma melhor colocação no tabuleiro politico. Afinal começam agora nas eleições municipais de 2016 as jogadas para posicionar estrategicamente as peças do xadrez para a disputa de 2018.
No Tocantins vários deputados, e até os suplentes, mudaram de partido. Alguns de olho nas eleições municipais, mas a maioria pensando em 2018.

No Congresso Gaguim acha que ainda está no programa Acelera Tocantins, que ele promoveu quando foi governador. Saiu do PMDB, foi para o recém-criado PMB e já pulou para o PTN. Os suplentes também participaram da dança. Freire Júnior (PV) embarcou no PMDB, Júnior Coimbra (PMDB) foi para o PSD e João Oliveira (DEM) ingressou no PPS.

Na Assembleia Legislativa o Presidente Osires Damaso (DEM) e o Deputado Jorge Frederico (PMDB) se filiaram ao PSC. Valdemar Júnior (PSD) foi para o PMDB, Luana Ribeiro (PR) para o PDT, Eduardo Siqueira (PTB) para o DEM e Mauro Carlesse (PTB) assumiu o comando do PHS.

Pra finalizar quero te agradecer pela amizade e ressaltar que você faz muita falta, inclusive pra analisar esses quadros nebulosos da politica, como sempre fizemos nos botecos: bom papo, cerveja gelada e seus prognósticos certeiros. Fique com Deus meu amigo!