Carta ao Salomão

O que vem pela frente...

23/02/2015 14h11 | Atualizado em: 23/02/2015 14h15

Meu caro Salomão

Como não sou especialista em Dois Dedos de Prosa, apenas um amador no ofício, vou me esforçar para alcançar pelo menos um. Então, muitas coisas aconteceram nesses últimos tempos, há alguns meses atrás não imaginava estar nessa posição, assim como também não fazia parte dos meus planos e imagino que o senhor deve estar surpreso aí em cima. Fizemos coligação com PMDB, apoiamos o Governador Marcelo Miranda e a Senadora Kátia Abreu para o Senado, sendo eu o seu 1º suplente durante as últimas eleições, da qual saímos todos vitoriosos.

Sobre esse novo cenário, o que posso dizer, sou orientado por uma filosofia que na política não se pode quebrar as pontes. E nesse caso a ponte entre o PT e a senadora Kátia Abreu, embora estivesse precária não estava quebrada e atualmente está recuperada e muito fortalecida. E como você sabe, para muitos o Governador Marcelo Miranda não seria candidato, assim como também não tomaria posse, mas para felicidade geral do povo do Tocantins, ele foi candidato, ganhou e tomou posse. E agora o PT está de corpo e alma no governo Marcelo Miranda e com muita convicção que vai dar certo. E não para por ai Salomão, o Tocantins tem uma Ministra o que significa muito para o Estado, Katia Abreu é a nossa Ministra da Agricultura e certamente vai fazer muitas coisas boas acontecerem. E o Partido dos Trabalhadores do Tocantins tem um Senador que pretende honrar esse cargo e todo o povo do Tocantins e do Brasil.

Tarefa de grande responsabilidade para qual, penso que estou preparado, mas como você mesmo sabe, a preparação precisa ser cotidiana, permanente e eu estou comprometido em estar sempre me preparando, além disso, pretendo fazer a diferença, buscando através do diálogo com os diversos setores organizados e com a população, estando aberto para ouvir as demandas e buscar soluções, sejam elas junto ao governo federal, estadual ou municipal, onde for necessário.
Quanto a minha história e as bandeiras que pretendo defender, posso dizer que como filho de trabalhadores rurais e meeiros lá em Minas gerais, conheço a realidade dos trabalhadores do campo, por isso vou defender a agricultura familiar, porque acredito que seja uma parcela importante da produção de riqueza do Brasil.

E também defendo que o Tocantins desenvolva seu enorme potencial agrícola, com melhores condições aos pequenos produtores, gerando emprego e renda ao nosso povo. Da mesma forma pretendo apoiar uma reforma política, um novo pacto federativo, uma educação de qualidade e que os direitos da juventude sejam respeitados, porque acredito que a juventude é o presente do Brasil. Outro ponto são os direitos humanos, porque tenho convicção que as pessoas e a humanidade são um projeto que deu certo, portanto, serei um defensor dos Direitos Humanos, para que toda pessoa possa ter uma vida digna, com acesso a direitos que assegurem o exercício pleno da cidadania.

Mas aqui estamos vivendo problemas graves de falta de água, nos grandes centros urbanos, como São Paulo já está se falando em racionamento de água, sendo um dia sim e quatro não, em virtude disso, o meio ambiente que já era objeto de minha atenção, nesse momento tem minha atenção redobrada. Por isso, defendo que a União, em parceria com Estados e Municípios, execute um amplo programa de defesa da água, através da conscientização, do incentivo e do fomento à recuperação das matas ciliares e das áreas em desertificação.

Também está havendo um grande barulho por aqui sobre a Petrobrás. Neste caso vou recorrer ao grande Jornalista Mauro Santayanna. “É preciso tomar cuidado com a desconstrução artificial, rasteira, e odiosa da Petrobras e com a especulação com suas potenciais perdas no âmbito da corrupção, especulação esta que não é apenas econômica, mas também política. Em vez de acabar com ela, como muitos gostariam, o que o Brasil precisaria é ter duas, três, quatro, cinco Petrobras. É necessário punir os ladrões que a assaltaram? Ninguém duvida disso. Mas é preciso lembrar, também, uma verdade cristalina. A Petrobras não é apenas uma empresa. Ela é uma Nação. Um conceito. Uma bandeira”.

Caro Salomão, você sabe da minha trajetória e da minha paixão pelo Partido dos Trabalhadores, por isso não vou me alongar. Desde 1983 sou filiado nesse partido o qual acredito ser o melhor, porém sei que ele não é perfeito. Até por que a perfeição não é um objeto abstrato concluído, mas sim um objeto, mesmo na abstração a ser construído e buscado todos os dias. É isso que buscamos diariamente no PT.

Parafraseando você Salomão: É, pois é. É isso aí, agora estou Senador.