Carta ao Salomão

Nossos amigos estão no poder

05/02/2015 19h50 | Atualizado em: 07/02/2015 11h30

Olá, índio véio, Salve!
Senti necessidade de escrever ao velho amigo para tentar dar-lhe conta das últimas novidades que surgiram por essas bandas da terra tão abençoadas por Deus e tão vilipendiada pelos homens. E como tem novidade, amigo, talvez não consiga sintetizar todos os acontecimentos relevantes nesta missiva, portanto peço desculpa antecipada pela escolha aleatória que sou obrigado a fazer, vou me ater apenas aos acontecimentos mais significativos, aqueles que certamente não passariam despercebidos pelo seu “Dois Dedos de Prosa”.

Nem te conto!... O Cleiton Cardoso virou deputado, Gaguim virou deputado federal, seu compadre Eduardo Gomes quase virou senador, e o Donizeti Nogueira virou. Grudou na barra da saia da senadora Kátia Abreu e chegou ao Céu na terra, como chamam o Senado. Eduardo Siqueira depois de muito tempo vivendo nas alturas mudou para o andar de baixo, aceitou ser deputado estadual, quem diria, hein...? (dizem que só aceitou porque era o caminho mais curto para obter imunidade).

O deputado Júnior Coimbra (PMDB) tramou para deixar Marcelo Miranda sem partido e ganhar a vaga de vice na chapa do siqueirismo ao governo do Estado e terminou como o bobo da corte. Usado, traído e abandonado. O deputado se imaginou tão esperto e terminou sem mandato, teve modeba que comemorou mais que a vitória do partido.

Outra notícia que sei você não vai acreditar. Siqueira pendurou a chuteiras, quer dizer, deixou o governo falando em fim de carreira, mas já tem gente articulando seu nome para disputar a prefeitura de Palmas com o velho slogan que tantas vitórias lhe deu, Quem criou sabe cuidar. Talvez o slogan não seja apropriado para o momento. O prefeito colombiano não criou e parece que está cuidando muito bem da última Capital planejada do cerrado. A boa avaliação da sua gestão diz tudo.

Por último, a melhor notícia do mundo político. O seu grande amigo Marcelo Miranda está de volta ao poder. E podendo muito. Indiscutivelmente é o grande líder do momento, em segundo, que retorna escorraçando de vez o velho Siqueira da cena política do Estado e assumindo o seu lugar com a possibilidade de reinar absoluto por um longo período. Isso, se conseguir conter a deterioração da gestão pública que alcançou níveis inimagináveis durante o governo Sandoval Cardoso, de longe o pior governador de todos os tempos, e isso porque ficou apenas sete meses. Como dizia a sua propaganda de campanha, fez tudo isso em quatro meses, imagina em quatro anos? Depois que o Marcelo revelou o rombo que o preposto do Siqueira deixou o tocantinense deve estar dizendo, ainda bem que foram apenas sete meses, imagina quatro anos! Não iria sobrar pedra sobre pedra.

O seu amigo derrapou no começo, mas aprumou. Marcelo assumiu com tanta vontade de fazer, de mudar, de realizar um choque de gestão, como tem declarado, que só se ouve falar de começar do zero. Tudo de novo. Só os problemas e a crônica falta de recursos são velhos e pelo que se observa sem solução. A primeira decisão do governo foi um grande choque. Anunciou que pagaria o salário atrasado de dezembro em suaves parcelas durante quatro meses. Imagina como foi recebida esta notícia pelos mais de 50 mil servidores que sempre tiveram em Marcelo Miranda o grande herói? Exatamente isso que você pensou. Como uma traição, inadmissível ao servidor.

Interessante foi ver Eduardo e Siqueira virem a público denunciar o atraso. Me fez lembrar o matuto de Gongomé que diz que hipocrisia não tem limites. Será que não se deram conta que o atraso era resultado do desgoverno deles?
Nada melhor que uma sacudida nas grades do Palácio. Os servidores reagiram e chegaram a anunciar greve. Rapidamente o staff do governo arrumou uma solução. A folha foi quitada no dia 12. A decisão do parcelamento foi sugerida por secretários de “calças curtas” e colocou o governo em saias justas, logo na estréia. Um desgaste desnecessário que ao menos serviu para o governo ter senso de urgência.

Mas fora esses deslizes iniciais o seu amigo vem se comportando bem à frente do governo. Está recuperando a credibilidade do Estado e isso já é muito. Mas também depois do tumultuado governo Sandoval Cardoso qualquer coisa que se fizer, será melhor. Seu amigo inovou em algumas áreas, “terceirizou” a comunicação e pela movimentação do mercado com importação de profissionais não tenha dúvida que será um sucesso.

Faço uma parada obrigatória nesta altura da missiva para um comunicado triste para os comunicadores. Acabo de receber a notícia da morte do nosso amigo Carlúcio, “o mão de onça”. Ele já deve está chegando por aí. Sofreu uma parada cardíaca, em casa, em Goiânia, no domingo e não resistiu. Mais um piotário que se vai sem ter tido o reconhecimento pela sua luta de pioneiro. Acolhe esta alma aí.

Elas, as mulheres que você sempre homenageou estão em ascensão por essas bandas. Veja só, a bancada federal do Tocantins terá agora três bravas guerreiras, Dorinha Seabra, Josi Nunes e Dulce Miranda. Como se não bastasse o Tocantins agora tem uma mulher no Palácio Araguaia, a publicitária Claudia Lelis é a vice-governadora e finalmente o Tocantins ocupa um espaço privilegiado na Esplanada dos Ministérios em Brasília. A brava e combativa senadora Kátia Abreu virou ministra da Agricultura do governo da petista Dilma. A queridinha da presidente, dizem os petistas para criar intriga com a líder do agronegócio considerada uma das personalidades pública mais influente do Brasil, mas não estão mentindo.

Suas previsões sobre o prefeito estrangeiro que chegou a chamar de novidade interessante estão se confirmando. Amastha faz um governo criteriosamente calculado com base em pesquisa de opinião pública e vem acertando. Teve a coragem de aumentar impostos (IPTU) e tem tomado medidas antipáticas, mas tem contado com o apoio da opinião pública que está vendo resultado. Em vez de grandes obras Amastha preferiu tocar as pequenas obras que outros gestores não deram muita atenção e vai se impondo como um gestor cuidadoso e de bom gosto.

Palmas, de fato, está mais bonita depois que o colombiano botou os pés no Paço Municipal. Ainda falta muita coisa, mas diante desta realidade de profundo retrocesso na gestão pública, o prefeito de Palmas é uma grata revelação. Pelo que se comenta terá reeleição garantida e pode ser um nome forte para 2018. Já é o principal nome da oposição. Se quiser tem chances de chegar ao Palácio Araguaia. Alguém precisa abrir a capa do olho do Marcelo para o fenômeno administrativo que está acontecendo no seu terreiro.

Bem, por enquanto é só. Ouvi dizer que estão tentando ressuscitar os Filhos da Pauta, ao saber da notícia fui logo pensando, se o velho Salomão souber disso, vai dizer, oba! Se ressuscitar mesmo estarei de volta na avenida.

Abraço da galera e até mais ver, não tão cedo.
Ruy Bucar