Audiência pública discute Cultura tocantinense na Assembleia Legislativa

  • 07/Ago/2015 14h58
    Atualizado em: 07/Ago/2015 às 15h27).
Audiência pública discute Cultura tocantinense na Assembleia Legislativa Foto: Foto: Koró Rocha/ Assembleia Legislativa

Na tarde da última quinta-feira, 6, artistas de várias partes do Estado lotaram o auditório da Assembleia Legislativa, para participar da audiência pública que discutiu a situação da cultura no Estado. O encontro teve o objetivo de ouvir a população e aproximar a classe artística das ações realizadas pela Secretaria Estadual da (Secult) nos 3 meses de existência da pasta.

Melck Aquino, secretário estadual da Cultura, lembrou que, a recriação da sua pasta, extinta na gestão passada, foi um dos compromissos assumidos pelo governador Marcelo Miranda (PMDB). O Secretário avaliou negativamente a gestão dos ex-governadores Siqueira Campos e Sandoval Cardoso por, segundo ele, “desmantelar a área”.

Aquino também apresentou todas as ações já realizadas desde que a Secult foi criada e os projetos e desafios que têm pela frente. Ao final, fez um pedido aos parlamentares. “O que vemos é que a maioria das emendas parlamentares são destinadas ao entretenimento, a shows de artistas de fora, e não à nossa cultura e à valorização dos nossos artistas. O que queremos é pedir que adotem projetos que realmente façam diferença para o setor cultural tocantinense”, concluiu.

O humorista Paulo Vieira, pediu que os deputados se sensibilizassem mais com as dificuldades da classe artística do Tocantins, e em seguida, listou as demandas da categoria. “Precisamos ser reconhecidos e valorizados no nosso Estado. Os artistas daqui há muito tempo estão prontos para receber recursos e oferecer cultura com qualidade”, salientou.

A autora do requerimento e presidente da Comissão de Educação, Cultura e Desporto, deputada Valderez Castelo Branco (PP), agradeceu a presença de todos os artistas e afirmou que este evento é apenas o pontapé inicial de uma série de reuniões em busca da consolidação do setor cultural do Tocantins. “Esqueçamos o passado e vamos pensar no futuro”, finalizou.

(Com informações da Ascom/Secult)